Fórum Romano

Fórum Romano

quinta-feira, 7 de junho de 2012

2˚ simulado 2012: 2˚Ano


Pessoal, gabarito no domingo!!! Ótimo feriado a todos!

1. (Uem 2012)  A expansão imperialista a partir do século XIX pode ser vista como um novo passo no processo de mundialização da ordem capitalista e da globalização da economia, o qual, devido à procura de mercados consumidores de manufaturas e de fornecedores de matérias primas, levou à subjugação de populações e povos, principalmente na Ásia e na África, ocasionando um neocolonialismo. Sobre o tema, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).
01) Devido à tardia unificação alemã, a atuação imperialista desta nação se restringiu à exploração mineral de áreas insulares no eixo Pacífico-Índico, como as ilhas de Madagascar, Java e Salomão.   
02) Na segunda metade do século XIX, o rei Leopoldo, da Bélgica, criou na África o Estado Independente do Congo Belga, em área que adquiriu como propriedade particular e dedicada à exploração do marfim e da borracha.   
04) A rápida industrialização do Japão, após a Revolução Meiji, levou a nação a empreender uma política imperialista contra os chineses ao final do século XIX, obtendo o controle da ilha de Formosa e de seus recursos.   
08) O império neocolonial francês foi o segundo no mundo em extensão, menor apenas que o britânico. Na Ásia, os franceses conquistaram a Indochina, onde exploravam plantações de seringueiras.   
16) Na segunda metade do século XIX, o mais importante território colonial britânico era a Índia, dada a riqueza advinda dos negócios das companhias de comércio.   
  
2. (G1 - ifce 2011)  A supremacia britânica, na Europa e no mundo, foi indiscutível no século XIX, atingindo seu apogeu entre 1850 e 1875. O desenvolvimento econômico, o progresso social e a estabilidade política geraram as condições necessárias para a formação de um vasto império colonial na América, na África e na Ásia, no qual se dizia que o sol nunca se punha.

O texto acima se refere ao período da história inglesa, conhecido como
a) Revolução Comercial. .   
b) Revolução Gloriosa.   
c) Era Puritana.    
d) Era Vitoriana.   
e) República Britânica.   

3. (Espm 2011)  Em conjunto com as grandes transformações econômicas, políticas e sociais do século XIX, surgiram doutrinas e correntes ideológicas. Uma delas foi o Anarquismo que pregava:
a) o respeito à propriedade privada, o controle demográfico e a observância da lei natural da oferta e da procura;   
b) a revolução socialista, o controle do Estado pela ditadura do proletariado, o comunismo;   
c) a erradicação do Estado, das classes, das instituições e tradições visando à imediata instalação do comunismo;   
d) a necessidade de um contrato entre os governados e o Estado, o imperativo da moral e do bem comum como fundamentos do poder político;   
e) a religião como instrumento de reforma e justiça social, além da formação de comunidades coletivistas.   
  
4. (Uerj 2010)  Socialista surgiu como descrição filosófica em princípios do século XIX. Sua raiz linguística era o sentido desenvolvido de social.
A distinção decisiva entre socialista e comunista, como em certo sentido esses termos são hoje comumente utilizados, veio com a mudança de nome, em 1918, do Partido Operário Socialdemocrata Russo para Partido Comunista Panrusso. Dessa época em diante, uma distinção entre socialista e comunista tornou-se amplamente vigente.
RAYMOND WILLIAMS Adaptado de “Socialista”. In: Palavras-chave: um vocabulário de cultura e sociedade. São Paulo: Boitempo, 2007.
Na história europeia, durante o século XX, estabeleceu-se uma diferença entre socialismo e comunismo relacionada ao seguinte aspecto:


a) crítica dos valores liberais   

b) controle da indústria pelo Estado   

c) defesa da ditadura do proletariado   

d) importância do sentimento patriótico   


5. (Udesc 2009)  O período monárquico no Brasil costuma ser dividido em três momentos distintos: Primeiro Reinado (1822-1831); Regências (1831-1840) e Segundo Reinado (1840-1889).

Sobre as principais questões que marcaram esses momentos, assinale a alternativa INCORRETA.
a) A Guerra do Paraguai marcou o Primeiro Reinado e foi a grande responsável pelo enfraquecimento do poder de D. Pedro I, resultando na Independência do Brasil.   
b) A primeira etapa da monarquia brasileira teve dificuldades para se consolidar, o Primeiro Reinado foi curto e marcado por tumultos e conflitos entre D. Pedro I que era português com os brasileiros.   
c) A primeira Constituição Brasileira foi outorgada em 1824, por D. Pedro I.   
d) A segunda etapa da história do Brasil monárquico inicia-se em 1831, com a renúncia de D. Pedro I em favor do filho Pedro de Alcântara, com apenas cinco anos de idade.   
e) O terceiro momento da monarquia no Brasil inicia-se com o reinado de Dom Pedro II, período marcado pela centralização do poder de um lado e pelas disputas político-partidárias entre liberais e conservadores, de outro.   
(1822-1831); Regências (1831-1840) e Segundo Reinado (1840-1889).





6. (Udesc 2009)  Assinale a alternativa CORRETA, em relação à chamada "Primavera dos Povos".

a) A "Primavera dos Povos" não influenciou a formação dos movimentos sociais do Século XIX.   

b) Foi uma revolução brasileira, mas que atingiu também outros países do Cone Sul.   

c) Houve influência da "Primavera dos Povos" no Brasil através do movimento dos "Seringueiros".   

d) Atribuição colocada ao movimento revolucionário francês em 1848, que derrubou a monarquia de Luis Felipe e trouxe à discussão a exploração burguesa e a dominação política.   
e) A influência da "Primavera dos Povos" se restringiu às preocupações francesas do período.   
  
7. (Fgv 2009)  "A nova onda se propagou rapidamente por toda a Europa. Uma semana depois da queda de Luís Filipe I, o movimento revolucionário tomou conta de uma parte da Alemanha e, em menos de um mês, já estava na Hungria, passando pela Itália e pela Áustria. Em poucas semanas, os governos dessa vasta região foram derrubados, e supostamente se inaugurava uma nova etapa da História europeia, a Primavera dos Povos".       
            (Luiz Koshiba, "História - origens, estruturas e processos")

O texto faz referência: 
a) à Belle Epoque.   
b) às Revoluções de 1848.   
c) à Restauração de 1815.   
d) à Guerra Franco-Prussiana.   
e) às Revoluções liberais de 1820.   
  
8. (Ufmg 2009)  O ano de 1848 ficou célebre em razão da onda de revoluções que varreu, então, a Europa – evento denominado Primavera dos Povos.
O objetivo maior dos revolucionários de toda parte era alcançar a liberdade e combater a opressão; em algumas regiões, porém, as palavras de ordem reivindicavam, também, o fim do jugo estrangeiro, ou seja, demandavam autonomia para as nações.
Considerando-se os eventos ocorridos em 1848 e suas consequências, é correto afirmar que:
a) Na Alemanha, se instalou, com sucesso, uma República parlamentar, que aboliu as instituições imperiais e consolidou a unidade do país.   
b) Na França, se proclamou, outra vez, a República, mas Luís Napoleão Bonaparte, o Presidente eleito, instituiu, por meio de um golpe, o II Império.   
c) Na Inglaterra, uma série de greves gerais colocou em xeque a Monarquia, que precisou recorrer à Lei Marcial para recobrar a ordem.   
d) Na Rússia, os revolucionários ocuparam o poder durante alguns meses, o que provocou reação sangrenta e guerra civil.  

9. (Ufpr 2006)  Com a abdicação do imperador D. Pedro I em 1831, o fracasso do primeiro reinado tomou corpo. Com relação a isso, considere os fatos a seguir:

I. A imigração europeia para o Brasil ocorrida nesse período.
II. A eclosão da guerra na Província Cisplatina (1825-1828) contra as Províncias Argentinas, a qual consumiu recursos do Estado em formação, e cujo principal resultado foi a criação da República Oriental do Uruguai, em 1828.
III. A indisposição do Imperador nas negociações com os deputados das províncias do Brasil, que levou ao fechamento da Assembleia Constituinte, em 12 de novembro de 1823, e à imposição de uma carta constitucional em 1824.
IV. A queda do gabinete dos Andradas, que levou o Imperador a se cercar de inúmeros portugueses, egressos de Portugal ainda ao tempo do governo de D. João VI.

Tiveram influência direta no desfecho do primeiro reinado os fatos apresentados em:
a) I, III e IV somente.   
b) III e IV somente.   
c) II, III e IV somente.   
d) I, II e III somente.   
e) I e II somente.   


10. (Ufrgs 2006)  Dentre as alternativas a seguir, assinale aquela que está correta em relação ao processo de unificação italiana, concluída na segunda metade do século XIX.
a) O Congresso de Viena concluiu o processo de integração nacional italiano na medida em que este veio ao encontro dos interesses das elites locais.   
b) O processo de unificação nacional resultou das fortes pressões da burguesia do sul do país, cuja economia demandava um mercado interno homogêneo, dinâmico e integrado para a colocação da sua moderna produção industrial.   
c) A construção do Estado Nacional implicou enfrentar e expulsar as tropas de ocupação pertencentes aos impérios britânico, russo e espanhol, estabelecidas na Península Itálica desde os acontecimentos de 1848.   
d) O movimento de unificação partiu das áreas mais industrializadas, teve forte presença de uma burguesia interessada na ampliação do mercado interno e foi sustentado pela ideologia do nacionalismo.   
e) A consolidação da formação do Estado nacional italiano ocorreu com a anuência do papa Pio IX e o reconhecimento, pelo primeiro-ministro Cavour, da existência e da soberania do Estado do Vaticano, após as negociações da Questão Romana.   


11. (Fgv 2005)  Durante o Primeiro Reinado, o governo brasileiro pediu aos ingleses alguns empréstimos, que representavam grandes somas - como 1 332 300 libras em 1824 ou 2 352 900 libras no ano seguinte - com uma taxa de juros muito alta.

Essa situação foi gerada principalmente
a) por uma crise no mercado internacional de açúcar e de café, que fez com que as principais mercadorias para exportação do país fossem cotadas a menos da metade do valor da última década do século XVIII.   
b) pelos gastos com os conflitos bélicos, contra o Paraguai e as Províncias Unidas do Prata, pelo controle do estuário do Prata, área de importância estratégica disputada com a Espanha desde o período colonial.   
c) por causa da diminuição das exportações, devido à retração dos mercados internacionais, e dos tratados econômicos que beneficiavam a entrada de produtos europeus em grande volume.   
d) pelo custo da montagem de uma força militar a mando de D. Pedro I, com o objetivo de defender o seu trono em Portugal, que fora usurpado pelo seu irmão Dom Miguel e por seu pai, D. João VI.   
e) pela ajuda dos ingleses para a reconstrução da economia brasileira depois do longo processo de emancipação política, por meio de investimentos diretos na modernização de vários setores produtivos no país.   
  
12. (Ufu 2005)  A Europa presenciou, entre o final do século XVIII e o século XIX, importantes transformações econômicas, políticas e sócio-culturais. A esse respeito, assinale a alternativa correta.
a) O século XIX ficou conhecido, na Inglaterra, como a Era Vitoriana. A rainha Vitória imprimiu uma das fases de maior desenvolvimento tecnológico, sustentada por medidas protecionistas aos produtos ingleses e pela dissolução das principais organizações trabalhistas, as "tarde unions", evitando assim a perda dos privilégios burgueses com a manutenção do voto censitário.   
b) Entre os principais ideólogos do capitalismo, destacou-se Thomas Malthus, ao escrever a obra "Ensaio sobre a população", que defendia a necessidade de limitação de nascimentos para conter o aumento da miséria. Entre suas aplicações, podemos citar a Lei dos Pobres e a criação das Workhouses (casas de trabalho), para confinamento de mendigos e desempregados na Inglaterra.   
c) O "18 de Brumário de Luís Bonaparte" ficou conhecido pelo golpe efetuado pela burguesia francesa para o estabelecimento de uma República ditatorial - a chamada Terceira República. Com amplos poderes obtidos após a derrota dos revoltosos da Comuna de Paris, Luís Bonaparte ainda barrou as iniciativas de expansão e unificação da Alemanha.   
d) Na cultura, o século XIX foi marcado pela predominância do realismo, em detrimento do romantismo, cujas influências puderam ser notadas na difusão dos ideais socialistas de Marx e Engels, responsáveis pelo aniquilamento das correntes anarquistas e social democratas na organização da 1a Internacional, também chamada de Associação Internacional dos Trabalhadores.   

13. (Unesp 2003)  Os dois grandes partidos imperiais (...) completaram sua formação (...) como agremiações políticas opostas. Mas havia mesmo diferenças ideológicas ou sociais entre eles? Não passariam no fundo de grupos quase idênticos, separados apenas por rivalidades pessoais? Muitos contemporâneos afirmam isso. Ficou célebre uma frase atribuída ao político pernambucano Holanda Cavalcanti: 'nada se assemelha mais a um saquarema do que um luzia
no poder'.
(B. Fausto, "História do Brasil".)

A transcrição refere-se aos partidos
a) Radical e Justicialista, que formaram a estrutura bipartidária vigente na Regência.   
b) Republicano e Democrático, que deram o tom político ao longo do Primeiro Reinado.   
c) Progressista e Ruralista, que se constituíram nas duas forças políticas em ação no Segundo Reinado.   
d) Trabalhista e Positivista, que moldaram a vida política no Antigo Regime.   
e) Conservador e Liberal, que dominaram a cena política até a proclamação da República.   

14. (Ufrgs 2002)  Entre a Unificação Alemã (1871) e a Primeira Guerra Mundial (1914 - 1918), o mundo extra-europeu foi dividido entre as grandes potências. Com isto foram constituídos impérios coloniais e desenvolveu-se uma intensa rivalidade.
Considere as afirmações a seguir, em relação a essa conjuntura.

I - A Alemanha era o estado europeu com a economia de maior crescimento, o qual, por ter chegado atrasado à partilha colonial, ameaçava o poderio inglês através da corrida naval.
II - A rivalidade entre os impérios levou à divisão da Europa em dois blocos, que se enfrentaram na Primeira Guerra Mundial, desencadeada pelo atentado de Sarajevo.
III - A Alemanha aliou-se à Inglaterra para neutralizar a França e os EUA, pois estes países eram seus adversários na constituição de impérios coloniais.

Quais estão corretas?
a) Apenas I.   
b) Apenas II.   



c) Apenas III.   

d) Apenas I e II.   

e) Apenas II e III.   

  

15. (Ufes 2000)  O banco que financiou a independência o Rothschild é o mais antigo banco de investimentos do mundo [...].  Foram os Rothschild que deram o primeiro financiamento ao Brasil independente, em 1825.
"O Globo" - 21/9/98.      O texto refere-se à dívida externa do Brasil no Primeiro Reinado, contraída com banqueiros ingleses, quase sempre com a casa Rothschild. 
O Brasil começava sua história como país independente, acumulando dívidas com banqueiros internacionais, situação ligada, entre outras, à/ao


a) legislação que visava à contenção das importações de supérfluos, o que causava prejuízos aos comerciantes.   

b) redução do tráfico de escravos no Brasil, especialmente para o Nordeste, em troca do direito de os comerciantes brasileiros abasteceram com exclusividade algumas colônias inglesas, fato que endividava o país.   

c) acordo sobre compensações, que previa o pagamento a Portugal de uma indenização em libras esterlinas em troca do reconhecimento da independência do Brasil.   

d) rompimento de relações diplomáticas e comerciais com os Estados Unidos, que não concordaram com as taxas alfandegárias, medida que resultou na diminuição da receita tributária do país.   

e) aumento do deficit público causado pelas despesas com a defesa das fronteiras brasileiras, devido às rivalidades políticas com a França.   

16. (Fgv 1997)  Associe os fatos político-militares do Primeiro Reinado e da Regência brasileira a seguir, com suas localizações:

Coluna A
1 - Balaiada
2 - Cabanagem
3 - Ato Adicional
4 - Sabinada
5 - Confederação do Equador

Coluna B
I - Pará
II - Bahia
III - Maranhão
IV - Pernambuco
V - Rio de Janeiro

Escolha a alternativa que tem a associação correta:
a) 1 - III; 2 - I; 3 - V; 4 - II; 5 - IV;   
b) 1 - II; 2 - V; 3 - II; 4 - I; 5 - V;   
c) 1 - III; 2 - II; 3 - V; 4 - IV; 5 - I;   
d) 1 - IV; 2 - I; 3 - V; 4 - III; 5 - II;   
e) 1 - V; 2 - III; 3 - IV; 4 - II; 5 - I;   
  
17. (Mackenzie 1996)  Relativamente ao Primeiro Reinado, considere as afirmações a seguir.

I - A dissolução da Constituinte, o estilo de governo autoritário e a repressão à Confederação do Equador aceleraram o desgaste político de Pedro I.
II - O temor de uma provável recolonização, caso fosse restabelecida a união com Portugal, aprofundou os atritos entre brasileiros e portugueses.
III - O aumento das exportações agrícolas, a estabilidade da moeda e a redução do endividamento externo foram os pontos favoráveis do governo de Pedro I.
IV - A cúpula do exército, descontente com a derrota militar na Guerra Cisplatina, aderiu à revolta, que culminou na Abdicação do Imperador.

Então:
a) todas estão corretas.   
b) todas são falsas.   
c) apenas I e II estão corretas.   
d) apenas I, II e IV estão corretas.   
e) apenas III está correta.   
  
18. (Mackenzie 1996)  A Confederação do Equador, movimento que eclodiu em Pernambuco em julho de 1824, caracterizou-se por:
a) ser um movimento contrário às medidas da Corte Portuguesa, que visava favorecer o monopólio do comércio.   
b) uma oposição a medidas centralizadoras e absolutistas do Primeiro Reinado, sendo um movimento republicano.   
c) garantir a integridade do território brasileiro e a centralização administrativa.   
d) ser um movimento contrário à maçonaria, clero e demais associações absolutistas.   
e) levar seu principal líder, Frei Joaquim do Amor Divino Caneca, à liderança da Constituinte de 1824.   
  
19. (Unaerp 1996)  Assinale a alternativa incorreta:
a) O Clube da Maioridade tinha como objetivo lutar, junto à Assembleia Nacional, pela antecipação da maioridade de Pedro de Alcântara.   
b) Os principais representantes do Clube da Maioridade eram os irmãos Martin Francisco e Antônio Carlos de Andrada e Silva.   
c) O Clube da Maioridade teve o apoio das classes dominantes e uniu políticos progressistas e parte dos regressistas.   
d) Em 1840, a Assembleia Nacional aprovou a tese da Maioridade e Pedro Alcântara apesar de seus 15 anos incompletos, foi considerado apto para assumir a chefia do Estado Brasileiro.   
e) O Clube da Maioridade, permitiu que D. Pedro assumisse o poder no dia 20 de dezembro de 1840, marcando o início do Primeiro Reinado.   
  
20. (Ufba 1993)  "É exclusivamente na minha pessoa que reside o poder soberano... é só de mim que os meus tribunais recebem a sua existência e a sua autoridade; a plenitude dessa autoridade, que eles não exercem senão em meu nome, permanece sempre em mim, e o seu uso não pode nunca ser voltado contra mim; é a mim unicamente que pertence o poder legislativo sem dependência e sem partilha... a ordem pública inteira emana de mim, e os direitos e interesses da Nação, de que se ousa fazer um corpo separado do Monarca, estão necessariamente unidos com os meus e repousam unicamente nas minhas mãos."
(Apud MELLO, p.61)   
A partir da análise do texto acima, é correto afirmar:

01) O texto expressa a concepção de autoridade e soberania do rei, na época do Antigo Regime.   
02) O conceito de soberania expresso no texto foi criticado por Montesquieu, ao defender a divisão entre os Poderes do Estado de forma harmônica e equilibrada, dando ao Executivo o poder de vetar as decisões do Legislativo e a este, o poder de declarar o "impeachment" do Executivo.   
04) A instalação do Estado caracterizado no texto anterior tornou-se possível a partir da sua aceitação pela nobreza e do apoio da burguesia, interessada em adquirir vantagens econômicas com a adoção da política mercantilista.   
08) O conflito político que marcou o Primeiro Reinado, no Brasil, decorreu da contradição entre o comportamento absolutista de D. Pedro I e os princípios defendidos pelo grupo dos políticos liberais.   
16) A primeira Constituição brasileira, cujos princípios se opõem aos referidos no texto, foi aceita sem contestações por todas as províncias do país.   
32) A plenitude da autoridade do soberano, referida no texto, constitui-se característica das monarquias europeias, até o final do século XIX.   
      

2˚ Simulado 2012 : 1˚Ano

Temática: de Roma ao Feudalismo: quem passar por aqui, deixe um comentário, assim poderei saber quem fez a tarefa. Gabarito no domingo!



1- (ESPM) - A " Eneida" foi composta por Virgílio como um épico que relata as façanhas de Eneias e seus descendentes, um deles fundador de Alba Longa.
A obra mencionada deve ser relacionada com:
a) A vitória de Teseu sobre o Minotauro;
b) As aventuras de Ulisses;
c) As aventuras de Hércules;
d) A fundação de Roma;
e) A implantação da República em Roma.

2) (UFJF) Sobre a organização político-social de Roma no final do período republicano (II e III a. C) assinale a alternativa correta:
a) A atuação dos Tribunos da Plebe, como Tibério e Caio Graco, criou uma estrutura fundiária baseada em pequenos lotes ocupados pela população de baixa renda e levou ao fim dos latifúndios em Roma. 
b) O direito à cidadania foi estendido a todos os habitantes que vivessem em qualquer região que tivesse sido conquistada por Roma. 
c) O regime democrático atingiu seu apogeu com a maior participação, através de eleições, de toda a população livre concentrada nos grandes centros urbanos. 
d) O poder político do Senado, no que se refere aos assuntos internos administrativos, foi transferido para a Assembléia dos Plebeus, conduzindo a um longo período de paz. 
e) Houve o aumento do número de prisioneiros de guerra convertidos em escravos, utilizados como mão-de-obra na economia romana.

3) (UFPI) Sobre a queda do Império Romano do Ocidente no ano 476 d. C., podemos afirmar que: 



Sobre o tema, assinale a alternativa correta: 
4) (PUC PR) O Império Bizantino ou Romano do Oriente existiu durante a Idade Média, sendo-lhe cronologicamente coincidente. Sobre o tema, assinale a alternativa correta. 


a) Seu período de maior esplendor e expansão ocorreu sob o governo de Justiniano, que mandou fazer a codificação das leis romanas.
b) Sua posição geográfica correspondia às terras da parte ocidental do Império Romano.
c) Apresentava excessiva descentralização política, o que enfraquecia os imperadores (baliseus).
d) Reprimiu violentamente a heresia dos cátaros, que ameaçava a sua unidade religiosa.
e) A força da cultura romana fez com que o latim fosse língua de emprego geral.



5) (UECE - adaptada) Sobre os fundamentos do Islã, assinale o correto: 


a) É uma religião politeísta que surgiu no final do século IV d.C. e tem em Maomé seu principal mártir. Seu livro sagrado é o Talmude.
b) É uma religião monoteísta que surgiu no século X d.C.. Sua sede religiosa é a cidade de Medina e seu livro sagrado é a Kaaba.
c) É uma religião politeísta que surgiu no século I d.C.. Sua sede é Jerusalém, Maomé seu fundador e não tem um livro sagrado.
d) É uma religião monoteísta que surgiu no século VII d.C. Seu profeta é Maomé e seu livro sagrado é o Alcorão.

6) (ESPM) Leia o texto e responda: 


Ao longo da História Medieval, o sistema feudal formou- se de maneira lenta. Suas origens estruturais encontram-se nas sociedades romana e germânica, cuja fusão e transfor- mação se processaram ao longo da Alta Idade Média.
(Rubim Santos Leão de Aquino. Historia das Sociedades: das comunidades primitivas às sociedades medievais)

Dentre as contribuições germânicas para a formação do feu- dalismo podemos assinalar:

a) a vila, unidade típica de produção rural, com sua produção destinada ao consumo local;
b) o colonato, sistema em que os trabalhadores sustenta- vam-se com o próprio trabalho, num pedaço de terra arren- dado pelo proprietário;
c) os precários, que trabalhavam na terra como meeiros ou em troca de serviços que prestavam ao senhor;
d) a clientela, que estabelecia as relações de dependência social entre os indivíduos;
e) o comitatus, que estabelecia a relação de lealdade e de obrigações recíprocas entre os guerreiros e o chefe tribal.

7) (Unifesp) Na sociedade feudal, os servos tinham a obrigação de: 
a) prestar juramento de fidelidade ao senhor das terras e defendê-lo em caso de guerras.
b) pagar tributos ao rei e a todos os nobres que atravessassem as terras em que viviam.
c) aceitar a decisão de seu proprietário de vendê-los a outros senhores ou reis.
d) participar de torneios militares e de exibições de cavalaria.
e) trabalhar nas terras do senhor ou dar uma parte de sua produção a ele.

8) (ESPM- adaptada) Leia as afirmativas apresentadas abaixo e assinale: 


I A sociedade feudal era essencialmente agrária, sendo a terra a principal fonte de riquezas. A produção econômica destinava-se à subsistência de seus habitantes e procu- rava-se a auto-suficiência.
II. Uma das principais partes de um feudo, a reserva senho- rial, ou domínio, incluía as terras mais férteis do feudo, a residência do senhor (o castelo), construções de uso ex- clusivo do senhor (forno, moinho, lagar, estábulo) a cape- la e as aldeias onde moravam os camponeses.
III. No sistema feudal ocorria a vassalagem, vínculo jurídico e moral, que impunha determinadas obrigações e deveres por parte de um suserano ao seu vassalo, tal como garantir a hereditariedade de um benefício (feudo) ao primogênito do vassalo. 



a) Se todas as afirmativas forem corretas. 
b) Se as afirmativas I e II forem corretas. 
c) Se as afirmativas I e III forem corretas. 
d) Se as afirmativas II e III forem corretas. 
e) Se todas as afirmativas forem incorretas. 


9) "Em primeiro lugar, fizeram homenagem desta maneira: o conde perguntou ao futuro vassalo se queria tornar-se seu homem sem reservas, e este respondeu: "Eu o quero"; estando então suas mãos apertadas nas mãos do conde, eles se uniram por um beijo. Em segundo lugar, aquele que havia feito homenagem hipotecou sua fé (...); em terceiro lugar, ele jurou isto sobre as relíquias dos santos. Em seguida, com o bastão que tinha à mão, o conde lhes deu a investidura (...)." (Galbert de Bruges, in Gustavo de Freitas, "900 textos e documentos de História") Da situação descrita no documento, resultou 
a) a formação de um exército de mercenários, pois os vassalos lutavam por terras, o que se tornou fundamental às monarquias nacionais. 
b) o fortalecimento da autoridade dos monarcas, que ganharam o direito de comandar seus vassalos e, assim, reprimir as rebeliões senhoriais e camponesas. 
c) a organização das Cruzadas, devido ao interesse do Papado em reafirmar seu poder sobre a cristandade após o Cisma do Oriente. 
d) o surgimento de Estados nacionais, já que os reis conseguiram o apoio militar e financeiro dos nobres em sua luta contra os poderes locais. 
e) a fragmentação do poder real, uma vez que os vassalos deviam obediência direta a seu suserano, que exercia autoridade em sua região.

10) (UFPEL)
“Os clérigos devem por todos orar os cavaleiros sem demora

devem defender e honrar
e os camponeses, sofrer cavaleiros e clero sem falha

vivem de quem trabalha
têm grande canseira e dor
pagam primícias, corvéias, orações ou talha e cem coisas costumeiras
e quanto mais pobre viver
mais mérito terá
das faltas que cometeu
se paga a todos o que deve
se cumpre com lealdade a sua fé
se suporta paciente o que lhe cabe: angústias e sofrimentos”.


ESTEVÃO DE FOURÈGES. In: COTRIM, Gilberto. História global: Brasil e Geral. 6a ed. São Paulo: Saraiva, 2002.
O poema está diretamente relacionado: 

a)  à Revolução Francesa, enfatizando as obrigações servis, como a corvéia – que era a entrega da primeira colheita ao senhor.

b)  à estratificação social, no feudalismo europeu, justificada pela Igreja, e composta pelo clero, pela nobreza e pelo povo.
c)  ao final da Idade Média, durante a expansão colonial européia na América, com o apoio da Igreja. 
d)  à ideologia burguesa, nas Cruzadas, quando os cavaleiros defenderam os valores cristãos ocidentais contra os muçulmanos.
e)  ao período medieval, por referir a exploração dos camponeses através de trabalho escravizado, bem como pela talha – que era o pagamento pelo uso do moinho.