Fórum Romano

Fórum Romano

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Férias : )

Queridos alunos, amigos, companheiros, seguidores:

Assim como eu e vocês, o blog também entrou de férias. Aproveitem muito, descansem... até 2012!

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Documentos da Ditadura 9˚s anos


Pessoal, leiam a absurda proposta do senador Fernando Collor. O que será que ele tem para esconder? Não deixem de ler e opinem... 


Senadores rejeitam sigilo indefinido de documentos

PLENÁRIO / VOTAÇÕES
25/10/2011 – 19h04
Os senadores acabam de rejeitar, por 43 a 9, o substitutivo do senador Fernando Collor (PTB-AL) ao Projeto de Lei da Câmara (PLC) 41/10, conhecido como Lei de Acesso às Informações Públicas. A maioria dos senadores considerou que a proposta abriria a possibilidade de sigilo indefinido para documentos.
Na forma como foi apresentado pelo Executivo, o texto previa a possibilidade de sucessivas prorrogações do prazo de 25 anos de sigilo das informações ultrassecretas. Na Câmara, os deputados alteraram o texto para que o prazo só pudesse ser prorrogado uma vez. O substitutivo rejeitado previa como regra uma única prorrogação do prazo, mas fazia exceções em casos de documentos ultrassecretos e de outras classificações, quando o sigilo fosse considerado imprescindível à segurança da sociedade e do Estado. Nesses casos, não haveria limite para o número de prorrogações.
Com a rejeição do substitutivo, que tinha preferência para votação, os senadores passam a discutir o PLC 41/10, com a limitação no tempo de sigilo, conforme o proposto na Câmara.http://www.senado.gov.br/noticias/senadores-rejeitam-sigilo-indefinido-de-documentos.aspx

sábado, 24 de setembro de 2011

EM Atualidades

Pessoal, encontrei esta ótima apresentação sobre os grafites na Líbia. Espero que vocês gostem!


segunda-feira, 19 de setembro de 2011

EM: Conceitos Chaves para o simulado.


História: Conceitos Chaves

·      Paleolítico, Neolítico, Idade dos Metais – Revolução Neolítica;
·      Hipóteses sobre o aparecimento do homem na América;
·      Indígenas brasileiros: organização e modo de vida;
·      Situação do indígena hoje;
·      Antiguidade Oriental: sociedades hidráulicas: Crescente fértil;
·      Egito: Centralização Política, sociedade, economia.
·      Mesopotâmia: política, sociedade, economia
·      Persas: política, sociedade, economia;
·      Grécia: formação: conceito de pólis; Esparta, Atenas: política, sociedade, economia.
·      Cultura grega e helenismo;
·      Alexandre Magno,
·      Roma: política, sociedade, economia nos 3 períodos da história romana: Monarquia, República, Império.
·      Crises no mundo romano,
·      Invasões bárbaras e o reino dos francos: Carlos Magno, a descentralização do poder na Europa.
·      Islã: os fundamentos da ƒé, razões da expansão, o isolamento da Europa.
·      A Alta Idade Média: Feudalismo: Política, sociedade, economia; a Igreja na Idade Média;
·      A Baixa Idade Média: Cruzadas: causas e consequências;
·      Renascimento urbano: processo e características,
·      Centralização política: causas e consequências;
·      Os reinos Ibéricos: processo de formação;
·      Crises do século XIV;
·      Cultura Medieval: Santo Agostinho/São Tomás de Aquino;
·      Renascimento Cultural: início, principais conceitos: humanismo, antropocentrismo, naturalismo, hedonismo.
·      A reforma: causas, na Alemanha, na Suíça, na Inglaterra.
·      A Contrarreforma: conceitos, consequências.
·      Revolução Comercial: conceitos, causas, consequências.
·      Mercantilismo: práticas mercantilistas,
·      Expansão Ultramarina, navegações portuguesas,
·      O Estado absolutista: pensadores e linhas teóricas,
·      O absolutismo na França,
·      O absolutismo na Inglaterra: as dinastias Tudor e Stuart: Rev. Puritana e Gloriosa;
·      Brasil: Período pré-colonial: escambo,
·      Período Colonial: razões para a ocupação – mercantilismo.
·      Impérios coloniais;

sábado, 17 de setembro de 2011

EM- Exercícios Adicionais Mercantilismo

Olá alunos,

Conforme combinamos, seguem alguns fragmentos e exercícios adicionais sobre o mercantilismo.


O Mercantilismo compreendia uma complexa legislação aplicada pelo Estado, em um momento ou outro, para promover a propriedade e conseguir riqueza e poder.

Associe as práticas mercantilistas às suas definições: 

a)   Industrialismo
b)  Balança de comércio favorável
c)  Metalismo
d)  Monopólio
e)  Estímulo ao comércio

(    )  Veneza, 13 de dezembro de 1596. O Rei da Espanha ordenou severamente que nenhum ouro ou prata seja exportado do reino ou usado com objetivos de comércio (The Fugger Bews Letter)
(    )  Na França, não só se estimulava o comércio pelos prêmios e tarifas elevadas, como se procurava, de todos os modos possíveis, atrair trabalhadores habilidosos, capazes de introduzir no país novos ofícios e métodos na indústria de luxo.(Léo Huberman - História da Riqueza do Homem.)
(    )   Quando Jehan de Bras de Fer inventou um novo tipo de moinho, em 1611, o governo concedeu-lhe direitos semelhantes às patentes de hoje: "Permitimos que ele e seus associados construam os moinhos de acordo com sua dita invenção, em todas as cidades e aldeias de nosso reinado"...
( Tudor Economic Documents, p. 249.) 
(    )   Negócio, portanto, era exportar mercadorias de valor e importar apenas o necessário, recebendo o saldo em dinheiro somente. A diferença no valor de suas exportações, em relação às importações, teria de ser paga em metal. (Léo Huberman - História da Riqueza do Homem.)

3) Sobre o mercantilismo, assinale o que for correto. 
a)  As práticas mercantilistas foram uniformes nos países europeus ao longo dos sécu-
los XVI e XVII, o que lhes possibilitou um crescimento econômico homogêneo. 
b. O mercantilismo, diferentemente da fisiocracia, não nasceu como escola. Resultou
do confronto de escolas, princípios e teorias. 
c. Entre seus objetivos destaca-se a busca da riqueza nacional – do Estado e de seus
súditos.
d) Entre seus interesses está a defesa do Estado nacional contra o internacionalismo
presente na filosofia e na prática política do período medieval. 
e. Alguns teóricos mercantilistas afirmavam que a felicidade do homem estava na ri-
queza, e a riqueza, no trabalho.

UNICAMP 1998




Resolução: Semana que vem!!!

Estudo do Meio Itu

       Que legal nosso Estudo a Itu!!!Vimos muita coisa legal e diferente... Muitos de nós nem imaginávamos que a cidade fosse tão rica em história... Sempre lembrada pelos exageros, Itu surpreendeu!!!
 Fiz um breve "apanhado" de informações com dados do site: http://www.explorevale.com.br/roteirodosbandeirantes/itu/historia.htm, vocês poderão clicar nos links para serem direcionados a outras informações. 
       Nos primeiros tempos, Itu (do indígena Itu-Guaçu ou Utu-Guaçu - que quer dizercachoeira grande, e foi denominada em homenagem à cachoeira Salto de Itu) foi ponto de apoio e ligação para as expedições, por haver diversos caminhos terrestres e fluviais. cidade, bem como a região, começou a ser povoada no final do século XVI. Os colonos portugueses, como Domingos Fernandes e seus familiares, chegaram em Itu em 1604, quando construíram uma capela dedicada a Nossa Senhora da Candelária.
         A capela, que deu início ao povoado, foi inaugurada no dia 2 de fevereiro de 1610. Somente em 1657 chegou à vila, passando a ter poder administrativo local. Itu participou do movimento bandeirista, abrigou o movimento de organização das Monções (Porto Feliz foi ponto de partida das Monções, expedições de bandeirantes que, navegando pelo rio Tietê, expandiram as fronteiras brasileiras, sempre em busca das minas de ouro de Cuiabá, no Mato Grosso) e foi berço da Convenção Republicana, cultivando o título de Berço da República.
     Hoje, seu centro histórico acolhe exemplares arquitetônicos que documentam os diferentes momentos de sua formação, vindo a ser patrimônio cultural de grande importância para o Brasil.
     A fase de maior crescimento da cidade foi entre 1836 e 1854. Nessa época, Itu era a vila mais rica de toda a Província, tendo (desde o início do século) importante participação na vida política e econômica. Em 1842, a vila foi elevada à condição de cidade. 

Fábrica São Luís



A Igreja do Bom Jesus teve como construtor o Padre Manoel da Costa Aranha. Foi erguida no local onde existiu a primitiva capela que datava do século XVII e que, durante muitos anos, serviu como Matriz de Itu. Entre 1763 e 1765 a Igreja, que estava ruindo, foi reedificada, e até hoje mantém sua imagem igual a original.
O Frontispício do Bom Jesus, com suas colunas severas e imponentes, imita o da Basílica Maior de São João de Latrão, “a Mãe das Igrejas” ,em Roma.
 As estátuas da fachada são dos quatro evangelistas, acompanhados de seus animais simbólicos, de acordo com a visão do profeta Ezequiel:
  1.  São Mateus – é o homem, pois iniciou seu Evangelho com os homens que compõem a genealogia de Jesus.
  2. São Marcos – é o leão, pois principia seu Evangelho com a vida eremítica de São João Batista no deserto, lugar onde vive o leão.
  3. São Lucas – com o vitelo ou novilho, pois começa seu Evangelho com o sacrifício deste animal por Zacarias, no Templo.
  4. São João – a águia, por ser a “Águia de Pátmos”, cujo Evangelho sublime tem os altos vôos da águia que fita o sol. Evangelho místico, teológico e filosófico.
As inscrições em latim significam: “Cristo Vence – Cristo Reina – Cristo Impera”.
No altar-mor está a imagem de Nossa Senhora do Bom Conselho e a estátua do orago do Bom Jesus. Na abóbada do Zimbório aparecem a Santíssima Trindade. No altar: o Sagrado Coração de Jesus aparecendo á santa Margarida Maria Alacoque. A coroa de realeza do Sagrado Coração é ouro puro cravejada de diamantes, e o altar é todo de mármore.
Fonte: http://www.itu.com.br/hotsite/default.asp?id=75










quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Cronologia das Navegações


CRONOLOGIA das Navegações:  
Primeira metade séc XV: Mar português

- 1415: Ceuta
- 1415 _ Conquista da Cidade de Celta.

- 1419 _ Expedição portuguesa chega à ilha da Madeira.

- 1431 _ Reconhecimento do Arquipélago de Açores.

- 1434 _ Gil Eanes ultrapassa o Cabo Bojador.
- Segunda década do século XV as ilhas do Atlântico (Açores, Madeira e Cabo Verde) foram ocupadas
- 1434 – os portugueses chegaram ao Cabo Bojador
- 1460 – nesse ano, já se realizava um lucrativo comércio de escravos (de Senegal até Serra Leoa)
- 1462 – Pedro Sintra descobriu o ouro da Guiné
- 1481 – decretado o monopólio régio (exclusividade da coroa) sobre a exploração colonial
- 1488 – Bartolomeu Dias contornou o Cabo da Boa Esperança
- Entre 1497 e 1498 – Vasco da Gama chegou a Calicute, nas Índias dando por encerrada a aventura marítima portuguesa.
EXPANSÃO ULTRAMARINA ESPANHOLA
Somente após 1 século de atraso em comparação a Portugal é que os espanhóis começaram a sua participação nas Grandes Navegações.
CRONOLOGIA
1492 – Colombo descobre a América
De 1492 ate 1504 – descobrimento das Antilhas, Panamá e da América do Sul
1504 – Américo Vespúcio afirmou que as terras descobertas por Colombo eram um novo continente.
1513 – Nunes Balboa confirmou essa hipótese, atravessando por terra a América Central chegando ao Oceano Pacífico. Em homenagem a Vespúcio, deu o nome de América ao novo continente.
Entre 1519 e 1522 – Fernão de Magalhães iniciou a primeira viagem de circunavegação.
Outros países também se aventuraram pelos mares:
FRANÇA: Começou sua expansão ultramarina a partir de 1520. Os franceses exploraram a costa brasileira, saquearam o pau-brasil e tentaram, sem êxito, se estabelecer no Rio de Janeiro e no Maranhão. Também tomaram posse do Canadá e da Luisiana (sul dos EUA).
INGLATERRA: Por causa da Guerra das Duas Rosas (1455 – 1485) a Inglaterra também começou tarde sua aventura pelos mares.
HOLANDA: Os holandeses estabeleceram-se na Guiana, e em algumas ilhas do Caribe e na América do Norte onde fundaram Nova Amsterdã, que depois foi chamada de Nova Iorque. Promoveram, também, o tráfico de escravos negros.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

EM: O absolutismo e a sociedade da corte

Olá alunos,

Estava pesquisando e achei esta ótima apresentação, ela sintetiza o absolutismo e traz informações sobre a sociedade da Corte, usos, costumes, cultura e vestimentas, ou seja, todos os mecanismos que estes nobres utilizavam para diferenciar-se do restante da população. Não deixem de conferir! Um lembrete: estes slides não excluem a utilização dos que eu preparei para vocês, já que seguem a ordem do nosso material. Analisem,  divirtam-se e que tal um novo penteado?




segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Ensino Médio: O apogeu do absolutismo

Olá alunos, seguem os slides trabalhados em sala, além da indicação de filmes a respeito dos conteúdos trabalhados em sala.



Henrique IV:


A Rainha Margot:


Vatel: Luís XIV e a ostensiva sociedade da Corte



quarta-feira, 7 de setembro de 2011

EM: O Comércio em expansão e as grandes Navegações

Olá Pessoal,

Segue a apresentação trabalhada em sala, entrem no slideshare para baixar.

O Renascimento


Olá 7˚ano, segue o texto que combinamos sobre Renascimento e Matemática que irá auxilia-los na elaboração da atividade solicitada sobre Leonardo, o inventor. 
Lembrando que este texto também é complementar ao conteúdo estudado pelo Ensino Médio. 
Bom  trabalho a todos!

Passados cinco séculos do Renascimento, o que restou daquela atitude inovadora para nós, hoje? Em nosso dia-a-dia alguma técnica ou instrumento herdados do Renascimento?
Imagine algumas situações do cotidiano: um médico que não usa termômetro para medir a temperatura do paciente, um comerciante que não pesa os alimentos que vende ou um professor que avalia o aluno sem atribuir-lhe uma nota. Estamos tão habituados a quantificar tudo que não sabemos mais viver sem padrões matemáticos. Herdamos do Renascimento essa visão quantitativa do mundo.
O homem renascentista tinha verdadeira obsessão pela exatidão. Foi a partir do Renascimento que os estudos de física, química, mecânica e astronomia começaram a ser registrados em fórmulas, equações e cálculos geométricos. “Nenhuma investigação humana pode ser chamada verdadeira ciência se não passar pelas demonstrações matemáticas:, escreveu Leonardo da Vinci. Um século depois, Galileu Galilei defendia a mesma ideia ao redigir: “É preciso medir o que é mensurável e tornar mensurável aquilo que não o é.”
Os registros comerciais seguiram a mesma tendência. Em 1489, o livro de Johann Widman propunha aos comerciantes pouparem tempo utilizando os sinais + e – no lugar de escrevê-los.
Até mesmo a pintura e a escultura renascentista eram verdadeiros estudos matemáticos. Além da perspectiva, o artista distribuía as figuras na tela seguindo padrões geométricos e desenhava o corpo humano usando medidas precisas para calcular, por exemplo, a distância entre a sobrancelha e a boca.
O tempo também foi medido. Até o final da Idade Média, as pessoas não tinham ideia das horas ou dos minutos exatos. O tempo era medido pelas necessidades essenciais da vida: hora de orar, de dormir, de comer, de plantar, de colher. Existiam os relógios de sol, de água, de areia, mas eram imprecisos, e as pessoas comuns provavelmente não faziam uso deles em seu cotidiano. Foi no século XIV que surgiu o relógio mecânico com alguns princípios básicos que permanecem até hoje : molas, rodas dentadas e ponteiros num mostrador. Marcar o tempo era uma necessidade da vida urbana e dos negócios. Desde então, a disciplina do tempo entrou na vida humana: recebe-se pelas horas trabalhadas, fixam-se horários para as aulas, lamenta-se o tempo perdido (...).
A obsessão pelo tempo exato levou o papa Gregório XIII a refazer o calendário, pois as datas religiosas não coincidiam mais com as do início da Era Cristã. Ele encomendou a uma comissão de matemáticos a recontagem dos anos. Essa comissão concluiu que sobravam dez dias no calendário. O papa não teve dúvidas: mandou cortá-los. Assim, depois do dia 4 de outubro de 1582 amanheceu o dia 15 de outubro.
GAARDER.J. O mundo de Sofia. São Paulo. CIA das Letras, 1995. P. 222

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

9˚s anos: Os anos rebeldes

Olá pessoal,

Seguem os videos e as músicas trabalhadas em sala. Assistam e ouçam novamente. Depois do NR, conversaremos sobre a atividade extra.
Infelizmente não deu para colocar tudo o que eu queria. As opções são excelentes e já me desculpo se cometi alguma injustiça deixando boas músicas de fora...
O rock and roll como estilo musical surge na década de 1950, no contexto de Guerra Fria,  influenciado pela cultura negra  e as guitarras elétricas.
O rock era a música dos jovens, inicialmente nos EUA, e depois no mundo todo. Na decada de 50 chamados de "Rebeldes sem causa" iriam caminhar para uma revolução cultural: era a Contracultura das décadas de 1960 e 1970 e ter uma causa pela qual lutar e acreditar:  no lugar da cultura tradicional, ditada pela elite capitalista conservadora, os jovens desejavam modificar as mentalidades, os valores estabelecidos, as atitudes cotidianas. Embalados pelas musicas dos Beatles, Door, Rooling Stones, Jimi Hendrix, Bob Dylan e muitos outros,  os jovens procuravam quebrar tabus e sugeriam mudanças.
Espero que com os vídeos abaixo seja possível visualizar as mudanças nas próprias bandas.

Divirtam-se muuuuito!





Chuck Berry: Maybelene



McFly & The Starlighters "Jhonny B. Goode" De Volta para o Futuro





Little Richard, Tutti Frutti





Great Balls of Fire! [un-edited trailer] Jerry Lee Lewis



Elvis Presley Jailhouse Rock 1957 colour





The Beatles - Twist and Shout (legendado)





The Beatles - All You Need is Love





Woodstock






Jimi Hendrix - Star Spangled Banner Live Woodstock